16jan 20

DESABAFO DE UMA MÃE DIVORCIADA

mães divorciadas

Existe uma solidão pouco citada nos lugares: da mãe divorciada. Cujo os relacionamentos não terminaram de forma amigável, que muitas vezes buscam recolocação no mercado de trabalho devido aos anos em que escolheu se dedicar ao lar e aos filhos.

Essas mães que muitas vezes são julgadas constantemente por suas escolhas, sua forma de educar e de viver as próprias vidas. Esse é o desabafo de uma amiga e uma mãe que prefere manter seu nome no anonimato.

Nada nunca é bom o bastante nem para amigos, nem para familiares. Se bate, está traumatizando, se não bate é mole demais. Se briga, é exagerada, se não briga não tem pulso.
Se tem algo que possa ser considerado ideal na educação de um filho, desconheço. Mas algo que todos deveriam saber é que por trás de cada correção existe uma mãe amorosa, que muitas vezes abdica do próprio momento de fuga para estar ali formando o caráter do filho pra que um dia talvez ele tenha empatia com ex-mulher se vier a se separar. Pra ele não se colocar num pedestal inalcançável se esquecendo dos anos dedicados e momentos de companheirismo.
Criar um filho sendo mãe solo é difícil. Mas vocês já imaginaram ser julgadas sob o crivo de um pai rancoroso?
Já ouviram suas amigas ainda sem filhos, que acham que assistir alguns episódios de “Super Nanny”, as torna expert em psicologia infantil, opinar sobre sua forma de educar?
Ser mãe é ser vista sob uma lupa repleta de juízo de valor, é ser criticada por querer sair e se divertir como se o lado mulher não devesse existir.
É ouvir conselhos de muitos e ir sozinha pra casa, porque no fim do dia é você e seu filho
.

Existe uma grande falta de empatia com mães divorciadas que buscam uma maneira de recomeçar. Não bastasse os sacrifícios que já fazem, é como se devessem viver em sabatina.

Que possamos criticar menos e dizer mais “posso ajudar com alguma coisa?”; Às vezes o alivio para uma amiga está no abraço carinhoso de quem se importa com seu esgotamento físico/mental e não no comentário não solicitado de quem não perde horas de sono quando ouve o choro de um filho.

Por .

Comente pelo Facebook

Comentar