08nov 12

Quando o amor deixa de ser amor

É estranho olhar para quem se mais amou, e não sentir mais nada. Definitivamente nada, além de pouco por ter deixado de sentir tanto. Você olha aqueles olhos que para você era a porta do seu segundo mundo, e não vê mais nada além das suas cores. Ouve o som da risada que por muito tempo foi sua canção preferida, e não escuta nada além de pequenas gargalhadas. É como se faltasse algo dentro de você, por mais que seja inútil, te falta. Nem que seja um pouco de saudade, mágoa, tristeza, dor, mas lhe falta. Mas ao mesmo tempo que estar sem, te deixa vazio, você não quer aquilo de volta para te preencher novamente. Não que não seja importante, mas é que você sabe o quanto doeu a presença dele ali.

É estranho você um dia ter tido a coragem de dar a vida por alguém, e hoje olhar para esse alguém e perceber que vive muito melhor sem ele. É igual aqueles desenhos que você adorava quando era criança, e que agora são tão enjoativos, sem graça e sem sentido. Já se sentiu preso o bastante para não querer se soltar? Como se quisesse esquecer, mas ao mesmo tempo ter medo de deixar para trás? Ou então sofrer, mas não querer deixar de sentir aquela dor…

Antes de dormir, todos os dias você pede para que passe logo, mas quando passa, pede para que volte. E se por acaso existisse um botão que te fizesse esquecer todas as coisas ruins que você já passou, você o apertaria? Suponho que não, pois quem te fez chorar hoje, ontem despertou o seu mais lindo sorriso. É sempre assim. Faz parte. E a gente ama, ama, sofre, ama, tem esperança, sofre, sofre, chora, ama mais, sofre, até ter dó de si mesmo. Mas no final a gente acaba amando novamente, é inevitável. Você acaba criando um espécie de barreira. Se fecha e ninguém mais te reconhece, quando você pensa que já está “protegido” o suficiente, tudo se perde novamente. Dizia alguns amigos meus “do amor pode se esperar de tudo” eu esperei, esperei, e adivinha? Ainda estou esperando. O passado ainda tem lá seus momentos bons, entre um dia e outro aparece uma nostalgia. Mas deixar de sentir algo, é a mesma coisa que tentar voar sem uma asa. E quando você aprende a voar sem as duas, é como se nunca tivesse tido nenhuma delas. Isso é totalmente irônico, mas tem suas vantagens.

Não se culpe por sentir, ou querer parar de sentir, muito menos se deixou de sentir. Foi como eu tinha dito, é quando seu coração distrai que o amor vem, ou se vai. Não faça das suas lembranças algo para ser esquecido, faça de lá um lugar seguro, que te faça pensar duas vezes antes de querer vivê-las novamente.

Por .

Comente pelo Facebook

Comentar