27jan 14

Morar longe da família

Dei uma sumida essas semanas do blog porque infelizmente meu pai tinha ficado doente de algo que os médicos não conseguiam descobrir o que é e vim para SC para cuidar dele. A princípio o diagnóstico é virose, mas também não identificaram qual até agora, mas ele já está bem.

Quando você decide sair da sua casa, do seu conforto, do seu lar, você abandona muitas coisas e uma delas é seus pais.

Não importa onde você vá morar, a frequência de vê-los é sempre tão pequena que você só vai se perguntar se valeu a pena sair de casa quando acontecer algo com eles.

Eu tento ao máximo vir para minha cidade e ficar com eles, ajudar no que posso pois além de meus pais, eles são meus melhores amigos.

Então quando você sair de casa, você vai saber que quando você precisar de ajuda, eles vão estar lá por você, com sorte terá bons amigos também. Você faz amigos a vida toda, mas na hora do aperto são tão poucos os que estarão lá por você, se tiver amigos de verdade para isso.

O maior problema é que, no meu caso são um pouco mais de 600 km de diferença. Eles não tem como ir para lá com frequência e para mim também fica complicado as vezes. Dessa vez eu vim, e pretendo sempre estar ao lado deles quando precisarem. Na minha opinião, isso deveria ser recíproco sempre, os pais estão do nosso lado e a gente do lado deles.

Acredito que todo mundo que mora longe, ainda mais por mais tempo como eu, deve sentir alguma angústia quando fica um tempo sem falar e sem saber se eles estão bem. Quem não mora longe não sabe a sorte que tem de poder vê-los todos os dias, então dê valor.

Por .

Comente pelo Facebook

1 Comentário

  1. Alexandre Sena

    28/1/2014 às 17h35

    Não há distância que resista a uma família unida!

    Responder

Comentar