19nov 18

JIU JITSU: A MELHOR AUTODEFESA PARA MULHERES

Treino de Jiu Jitsu academia Cross Fighters

Faz uns três meses que troquei o tatame de Taekwondo na Cross Fighters, academia onde treino, pelo do Jiu Jitsu.  Sempre fui fã de lutas, sempre assisti MMA, mas a necessidade de aprender a me defender surgiu a partir de um sequestro relâmpago que sofri com 19 anos. De lá pra cá outras situações reforçaram em mim a vontade, fosse um assédio no transporte público, ou uma agressão que sofri por parte de um vizinho em um aniversário.

Passei pelo Muay Thai, Taekwondo, até chegar despretensiosamente no Jiu Jitsu, que já admirava à distância. Fui convidada por uma colega da academia a fazer uma aula, e desde então não parei mais. De todas as lutas que experimentei, essa foi a que considerei mais completa e a que mais abrange defesa pessoal (na minha visão, ok?), os golpes aprendidos ali, podem ser aplicados em situações do dia-a-dia.

Uma das muitas vantagens do esporte é que o principal ponto não é a força em si, mas sim a técnica. Nos meus treinos eu “rolo” (a gente chama de “rolar” quando está lutando com alguém) com caras que são o dobro do meu peso e tamanho, infinitamente mais fortes do que eu e isso não me impede de conseguir uma finalização.

As mulheres são vítimas de crimes violentos, como agressão sexual e violência doméstica, diariamente. As estatísticas nacionais estimam que 1 de 6 mulheres serão sexualmente atacadas durante a sua vida. Aproximadamente 2/3 das agressões sexuais foram cometidas por alguém conhecido pela vítima. Desses, 38% são amigos ou conhecidos, 28% são íntimos e 7% são parentes.

Estes são números alarmantes, e vamos considerar também que a agressão sexual é um dos crimes mais não reportados. Então, essa é uma das razões que me fazem acreditar que toda mulher deve conhecer alguma forma de autodefesa. Além da agressão sexual, há também violência doméstica, sequestro e assalto.

Eu não acredito que nenhuma outra arte marcial no mundo, além do Jiu Jitsu,  pode fornecer às mulheres as ferramentas para se defenderem quando jogadas no chão, agarradas ou sufocadas. Outras artes marciais, como o Krav Maga, alegam ensinar às mulheres “verdadeiras técnicas reais de combate às ruas” para se defenderem nessas situações. Eles ensinam como acertar o atacante no nariz, ou atacar a genitália dos atacantes, etc. Parece legal, mas o problema é que esses estilos de artes marciais não podem provar que esses tipos de defesas funcionarão em uma situação real.

Débora Dini, tem 30 anos e é designer de interiores. Praticante de “jiu” há seis anos foi incentivada pelo marido e mestre de BJJ (Brasil Jiu Jistsu). “Sempre assistia as lutas com ele e fiquei interessada em realmente conhecer como funcionava”, disse. Ela que já é faixa azul, não deixa à desejar para nenhum marmanjo da mesma categoria. Quem a vê toda pequenininha nem imagina como ela cresce no tatame.

 

Visualizar esta foto no Instagram.

 

Uma publicação compartilhada por Débora Dini (@dehdini) em

E os benefícios vão muito além de só defesa pessoal. “Por consequência da dedicação a atividade melhorei meu hábitos alimentares e a frequência de outras atividades físicas. Meu condicionamento melhorou muito, disposição, rendimento das atividades do dia a dia, autoestima e confiança”, ressalta Débora.

Conversei com o mestre Airam Nogueira, 37 anos, que tem quinze anos de profissão para ajudar a esclarecer algumas dúvidas sobre esse esporte.

 

Visualizar esta foto no Instagram.

 

Uma publicação compartilhada por Airam Nogueira (@airam_nogueira) em

Viviane Leone: Toda mulher pode praticar jiu jitsu?
Airam Nogueira: Sim, toda mulher pode e deve praticar, além de ser uma excelente atividade física é uma eficiente forma de defesa pessoal.

Viviane Leone: É preciso ter alguma preparação física para praticar?
Airam Nogueira: Não, não precisa ter praticado nenhum esporte, o próprio treinamento vai te preparar para essa atividade, mesmo por que os movimentos são muito específicos e você vai aprender todos do zero.

Viviane Leone: Existe limite de idade para iniciar os treinos?
Airam Nogueira: Não tem limite, pode começar quando criança, adolescente, adulto ou até mesmo terceira idade, já tive todos esses perfis de alunos e todos conseguiram praticar, lógico que sempre respeitando a individualidade biológica de cada um.

Viviane Leone: Qual a frequência de treino indicada para quem quer começar?
Airam Nogueira: O ideal é no mínimo duas vezes na semana pois se trata de uma atividade de movimentos complexos que devem ser repetidos inúmeras vezes para serem fixados na memória, quanto mais dedicação mais rápido evolui no esporte.

Viviane Leone: Por que o jiu jitsu é a arte marcial mais indicada para mulheres?
Airam Nogueira: Ele é muito indicado pois o jiu jitsu além de esporte é uma defesa pessoal baseada em alavancas que utiliza a forca do oponente a seu favor. É uma luta eficiente onde o mais fraco pode ganhar do mais forte.

Viviane Leone:Existe alguma dieta específica para quem treina?
Airam Nogueira: O ideal é procurar um nutricionista que é o profissional indicado para tratar de alimentação personalizada para cada indivíduo, mas geralmente quem treina tenta manter uma dieta equilibrada e saudável.

Viviane Leone:Em quais circunstâncias a pessoa deve evitar o esporte?
Airam Nogueira: Antes de começar qualquer esporte o ideal é passar por uma avaliação médica, esse é o profissional que vai liberar ou não o treinamento. Mas qualquer pessoa saudável esta apta a praticar.

Acima de tudo, se você é uma mulher, você deve se dar ao menos uma chance de contra-atacar.

Por .

Comente pelo Facebook

Comentar