Comportamento - smartgirls

Posts publicados na categoria Comportamento

14abr 16

Aplicativo anti assédio Sai Pra Lá

sai pra la

Nunca nos últimos anos se ouviu falar tanto em sororidade. Mulheres tem se unido em diversos lugares, de diferentes formas para combater preconceito, violência, machismo e tudo que é derivado.

Vejo no Facebook grupos de cultura pop voltados para o público feminino como Minas Nerds, grupos de couchsurfing como o Couchsurfing das mina e por aí vai. Esses são apenas dois exemplos do qual participo, mas as opções não param por aí.

Catharina Doria tinha 17 anos quando cansou das grosserias disfarçadas de elogio na rua e começou a desenvolver o Sai Pra Lá, um aplicativo que permite mapear caso de assédio sofridos nas ruas. Com ele é possível anotar o tipo de assédio, local, hora e onde ocorreu se a vítima preferir de maneira anônima.

O assédio em sua vida, começou cedo aos 9 anos de idade enquanto andava com sua madrinha na rua e teve que ouvir gracinhas de um cara bem mais velho. Hoje com 18 anos se dedica a ajudar mulheres que também vivenciaram algo parecido.

Conversei com ela pra entender um pouco mais sobre o projeto e suas motivações para iniciá-lo. Confira a entrevista, abaixo.

Viviane Leone: Você sempre teve vontade de criar um aplicativo ou a ideia veio depois?

Catharina Doria: Nunca tinha pensado nisso!

Viviane Leone: Pretende fazer algum curso de graduação superior na área de comunicação ou tecnologia?

Catharina Doria: Quem sabe! Realmente estou bem perdida quanto ao meu futuro!

Viviane Leone: Como surgiu a ideia de criar esse aplicativo?

Catharina Doria: Eu estava andando na rua quando um senhor, ele devia ter uns 50 anos, me chamou de gostosa e disse que ia me “levar pra casa”. Fiquei com medo de responder, já que sempre li histórias de mulheres que apanharam depois. Tive a ideia e chamei dois amigos: o Thiago, que é desenvolvedor, e a Mari, que é designer. Disse que não tinha dinheiro, mas tinha uma ideia. Eles me apoiaram e aqui estamos.

Viviane Leone: O que você espera com ele?

Catharina Doria: No primeiro momento quero chocar a população. Vamos lá: em uma semana de existência, o app já tem 7 mil assédios registrados. Quando tivermos números mais “alarmantes” para mostrar para o Estado (milhões), queremos entrar com cobranças de medidas preventivas – palestras, cartazes, projetos, sei lá.

Viviane Leone: Quantas pessoas em média já se registraram no aplicativo?

Catharina Doria: Mais de 35 mil.

Viviane Leone: Como seus pais e amigos reagiram quando você contou a ideia de criar esse app?

Catharina Doria: Minha família me apoiou desde o início. Meus amigos só ficaram sabendo depois que lancei. Mantive isso um segredo.

Viviane Leone: Quais os planos para o aplicativo no futuro?

Catharina Doria: Tenho incontáveis planos, como adicionar linhas de trem/metro, traduzir pro espanhol e inglês, adaptar pra Windows Phone (que está sendo cobrada por muitas pessoas) – mas tudo isso só conseguirá se concretizar quando tivermos verba. Quem sabe?

Dados 22 de novembro de 2015 Dados 22 de novembro de 2015 Reprodução Facebook Reprodução Facebook

Depoimento

O projeto ficou tão grande que agora a Catharina tem um canal no Youtube onde fala sobre empoderamento feminino.

Por .
01abr 16

Como a internet nos deixou mentalmente preguiçosos

cerébro

Estava eu ​​na internet quando me deparei com uma publicação sobre o Quintandinha Bar, li o texto e cai no “desabafo” da jovem queixosa e acabei compartilhando em um impulso emocional.

Conversando com um amigo percebi que não me dei ao trabalho de checar se a história era verdadeira, tomei o que a moça disse como verdade absoluta e fui mais uma das milhares a se posicionar a favor dela sem ao menos tentar entender mais profundamente o que havia acontecido.

Não estou aqui para debater o mérito da questão. Me incomoda o fato de que eu formada em jornalismo, heavy user de internet e trabalhando no meio publicitário simplesmente não tive o crivo de checar os dois lados da moeda.

E me incomoda mais ainda o fato de que esse não é um problema somente meu.

Certa vez li uma chamada que dizia “Pesquisar no Google faz as pessoas se sentirem mais inteligentes”, mas isso não comprova que a pessoa tenha conhecimento de fato sobre o assunto.

O “Google Effect” (Ou Efeito Google) esta cada vez mais comum, pesquisas inclusive já mostram que o acesso ilimitado à informação faz com que nossos cérebros retenham cada vez menos dados. Ficamos preguiçosos. Em algum lugar dentro da nossa cabeça está o pensamento “eu não preciso memorizar isso, é só pesquisar no Google quando eu precisar”.

As redes sociais se transformaram em uma espécie de vaso sanitário onde as pessoas vomitam suas opiniões muitas vezes sem refletir sobre o assunto.

O que percebo é uma tendência das pessoas juntarem várias informações compatíveis com seus pensamentos, dessa forma elas acabam reproduzindo conteúdos e ideias sem análise alguma sobre o motivo pelo qual concordam ou não com eles.

Acho, inclusive, que esse é um dos motivos de tanta desavença nas redes sociais, o receptor não entende a motivação do outro em torno do conteúdo que está sendo replicado.

Por isso quero deixar a seguinte reflexão: O que você compartilha nas suas redes sociais traduz bem sua linha de pensamento?

Por .
02mar 16

As desculpas que damos pra justificar nossos erros

desculpas

Inferno astral me parecia uma boa justificativa pra maré de azar que anda acontecendo comigo. É mais fácil pensar que os astros estão de mal comigo, do que admitir um erro causado único e exclusivamente por minha culpa.

“Ah, mais isso me levou a fazer aquilo que deu merda”, foi outra tentativa pra me sentir um pouco menos pior. Uma desculpa que usa o outro como fator para o erro não pode ser levada à sério, e isso é óbvio até mesmo pra mim. O erro do outro não diminui o nosso próprio.

“Errar é humano”. Outra expressão muito usada quando nos pegamos diante de algo nós mesmos cometemos. Ser humilde é compreender que somos imperfeitos. Não quer dizer que ao fazer isso estamos nos isentando da culpa. Mas sim que estamos aceitando nossa própria natureza, com tolerância e bondade.

A parte mais difícil, é se perdoar. É preciso dedicação e esforço para consertar o estrago, mas ficar olhando pra trás o tempo inteiro é algo que pessoas atoladas fazem. Não podemos mudar o passado, mas podemos viver de forma mais consciente no presente pra evitar que os mesmos erros sejam cometidos no futuro.

Temos fraquezas, limitações e equívocos de julgamento e aprender a lidar com nossas emoções é o primeiro passo pra mudar.

Por .
25fev 16

Vamos falar de sentimento?

cama

Sempre fui o tipo de pessoa que consegue se expressar melhor escrevendo do que falando. Eu não consigo falar para as pessoas que eu gosto o quanto elas são importantes pra mim. Por exemplo, eu sempre digo pra minha mãe que a amo pelo Whatsapp, mas pessoalmente me limito a um beijo e um abraço (que claro carregam todo sentimento do mundo).

Ouvir de alguém o quanto somos importantes é muito bom, aquece o coração e tem um peso maior. Porque quando falamos nos despimos, ficamos vulneráveis e isso nos deixa completamente sem defesa apenas a mercê do olhar julgador e do pensamento emblemático do outro.

Quando se está ali, olho no olho não existem frases de efeito, não existe soneto, é só você de peito aberto. E cara como isso é aterrorizante. Sim, eu sou covarde por carregar tanta coisa e não colocar pra fora, porque falar dos meus sentimentos me emociona, me comove, me dá vontade de chorar e eu detesto que me vejam assim.

Uma vez eu li em algum lugar “fique com quem te despe a alma, porque o corpo qualquer um é capaz de fazer”.  E é assim que me sinto quando eu olho pra ele (qual é você também deve ter alguém na sua vida que capaz de tirar seu chão, então não julgue meu romantismo que parece clichê).

Foi naquela noite despidos de corpo e alma, ali suados e calados. Não me lembro ao certo quem de nós dois quebrou o silêncio, eu já havia dado indícios de um possível “eu te amo”, mas tentei brincar, tirar o foco. Afinal de contas, é algo bem importante e eu queria ter certeza que aquele era o momento certo. Mas qual é o momento certo mesmo?

Acho que é quando o sentimento está transbordando por dentro e vazando pelas beiradas. Quando não se imagina sem aquela pessoa na sua rotina. Quando independente do tempo que vocês se conhecem existe afinidade e cumplicidade.  Foi ali naquela cama, entre suspiros cansados que eu deixei a vergonha e o medo de lado e me declarei.

Confira mais textos aqui.

Por .
30jan 16

Quando te disser adeus

adeus

Deixe o velho ir para dar lugar para algo novo… e foi assim que te deixei partir. Acredite não foi uma decisão fácil, mas continuar ao seu lado era como tentar usar uma roupa que já não servia mais. Aprendi com o tempo a não ser âncora que aprisiona e sim estrada que conduz. “Deixe livre as coisas que ama”, sempre achei a frase um bocado idiota, mas pensando bem é isso, não?

Poderia fazer birra cada vez que nos distanciamos, poderia exigir minha presença em sua vida como uma constante, poderia exigir uma aliança de compromisso, poderia ser tão tóxica quanto todos os seus relacionamentos anteriores. E isso, meu amor, poderia até dar certo por um tempo, mas por quanto tempo?

Eu via você sair pela porta e era como se levasse junto uma parte de mim, uma parte que não mais se encaixa. Sou aquela que deixou de fazer planos, de pensar no futuro e de te incluir nele. Não me leve a mal, mas esse é meu jeito de te arrancar de mim, cada parte do meu corpo que está impregnada de ti.

Saber deixar ir é ter a certeza intrínseca de que tudo é efêmero, de que nada é eterno. É perceber que todas as histórias, inclusive as de amor tem um princípio e um fim.

Todas as vezes que te vi indo embora e apertei sua mão, eu queria na verdade dizer: fica comigo.

Quando minhas pernas caminharam em outra direção que não a sua, na verdade estava dizendo: um dia te verei novamente. 

Quando você foi embora, e parada fiquei te olhando até desaparecer no horizonte,  na verdade eu queria dizer: volta, fica mais um instante.

E assim com uma lágrima na face e um gesto meio contido, sussurro pra mim mesma: foi bom ter te conhecido.

Texto original.

Por .
27dez 15

Eu decidi te esquecer

adeus

Quando eu te conheci, eu me apaixonei.
Quando passamos alguns dias juntos, eu tive certeza de que o que eu sentia por você era certo.
Quando você começou a me deixar de lado, eu não entendi.
Quando eu passei a te deixar de lado, com dor, eu vi.

As vezes a gente precisa amar muito algo para conseguir ver que precisamos mesmo mais amar a nós mesmos.
Eu sofri, chorei, senti todas as frustrações de uma rejeição nunca dita. Aquela rejeição que nunca nos dá a certeza por que sempre temos esperança de sermos também tão especiais.

Então, eu decidi.

Quando eu penso em você, eu me bloqueio.
Quando eu vejo você online, eu largo tudo.
Quando eu penso em te procurar, eu paro e procuro outra coisa para fazer.

Quando eu… quando eu… quando…
É, já nem me lembro mais quando eu precisei pensar pra fazer essas coisas.

Agora eu já acordo sem pensar em você e eu só lembro quando eu penso no quanto você me iludiu.
Agora eu levanto e faço minhas coisas pensando no que está por vir, e não no que se foi.

Sempre ouvi falar que quando você tem um passarinho, você deve deixá-lo solto, pois se ele quiser, ele volta.

Eu deixei, você não voltou.
Agora, eu que fui.

Por .
09dez 15

Dicas para escolher um apartamento para morar

novo-ape

Algumas pessoas sabem de tanto que falo no facebook e posto no snapchat (@andressaroeder), mas me mudei a pouco tempo. Decidi fazer esse post por que escolhi um apê com diversos problemas e aprendi muito com isso, então queria dar umas dicas para vocês avaliarem bem o apê antes de fecharem contrato.

Quando vocês forem ver um apartamento, além do espaço (principalmente se vocês já tiverem alguns móveis), aconselho olharem detalhes como:

– Espaço para máquina de lavar e onde estão saída e entrada de água para ela.
– Se sua máquina cabe, confere se ela passaria na porta e caso precise remover, qual o estado das dobradiças para remoção (tive problema com isso no meu apê).
– Estado da privada: se está apenas suja ou manchada a ponto de ter que trocar.
– Se todas as luzes e tomadas estão funcionando.
– Se a pintura está correta.
– Se o piso está nos conformes e se vai precisar de muita limpeza nos rejuntes.
– Se as janelas abrem e fecham facilmente.
– Estado da pia da cozinha e dos armários que estiverem presentes no local.

primeiro-ape

De preferência, já imagine opções de móveis e lugares para eles para ter uma noção do que vai caber tudo que você pensa em por nele e o que é necessário para morar.

Antes de fechar o apartamento, converse bem com o corretor para ver se caso precise de reformas, se eles cobrem e as taxas que tem para sua saída ao final do contrato.

Acho que falei as coisas principais, mas quem tiver mais coisas para ajudar quem está escolhendo um apartamento para morar, comente aqui!

Por .
30out 15

Um pouquinho de cada

casal

Algumas pessoas com as quais me envolvi me fizeram aprender coisas bobas que carrego comigo até hoje. O pouco de cada um que me contagiou e que guardo de bom.

Aprendi a degustar um vinho.

vinho

Pode ser pelas degustações que fui. Mas acredito de verdade que aprendi a degustar nas noites assistindo séries e apreciando um vinho diferente enquanto a gente dava boas risadas.

Aprendi a gostar de diferentes gastronomias e de diferentes sabores de pizzas.

cozinhando

Claro que não só nos bons jantares fora, mas também nas tentativas frustadas de fazer jantares juntos ou de tentar fazer algo novo para ele.

Aprendi a descansar.

cama

As vezes dormir no meio da tarde por estar um pouco livre ou deitar apenas por que é bom, é um ato de luxo que não sabemos que podemos nos dar. Ficar calada do lado de alguém também pode ser muito bom.

Aprendi muita coisa boa e aprendi com muita coisa ruim. Mas do mesmo, eu levo um pouco de cada pessoa comigo.

Por isso eu:

Quando eu assisto uma série, eu bebo um vinho.

Quando eu deito para descansar, eu fico calada.

Quando eu quero cozinhar, olho a receita por cima e invento algo que pode dar errado.

Quando peço um suco, peço de laranja com morango.

Quando peço uma pizza, quero de abobrinha, frango ou conheço algum sabor diferente por curiosidade.

Quando eu conheço alguém novo, eu olho no olho.

Mas quando eu vejo que acabou… eu simplesmente vou embora.

Por .
22out 15

Amizade com EX

casal amigos

Relacionamento são complicados e incertos. Acredito que quando alguém se apaixona por alguém, não é algo apenas carnal… pelo menos não deveria ser.

Quando eu conheci meu ex eu me apaixonei pelo jeito, pela maturidade, pelo cuidado dele com todos, pela responsabilidade, pelas piadas que nem sempre tinham graça mas era tão bom ver ele rindo e contando… me apaixonei pelos detalhes. Porém, essas coisas eu só conheci dele sendo amiga… saindo com ele e ouvindo suas histórias, jogando conversa fora, assistindo a um jogo de futebol ou bebendo uma cerveja.

casal de repente amor

Nos apaixonamos depois de uma amizade tão sincera e gostosa. Namoramos. Moramos juntos. Foram 4 anos onde fomos amigos e namorados.

A paixão, a parte de casal foi diminuindo e ficamos mais amigos do que namorados e então tivemos que romper.

casal terminando

Algumas pessoas não entendem o que é isso e acham que EX só é bom se estiver longe. Eu discordo. Se ele foi meu melhor amigo enquanto meu namorado… por que quando acaba a amizade tem que acabar?

Me perguntam se eu amo ele ainda e eu respondo:

É claro que eu amo! Ele fez e faz parte da minha vida. Ele é um grande amigo, ele foi o melhor parceiro que já tive em toda minha vida e uma das melhores pessoas que eu conheço.

abraço

Eu nunca quis falar do meu relacionamento na internet por que acho que invade minha vida pessoal demais, mas preciso comentar que nem sempre quando ex-namorados viram amigos é por que vão voltar ou por que tem posse de alguém… as vezes é uma pura e sincera amizade, como a que eu tenho pelo meu.

Parem de dizer que é uma relação estranha. Eu poderia citar pelo menos 4 amigos que tem a mesma relação com suas ex’s e eu acho lindo saber que nem todo mundo terminou sem respeito e com briga, saber que existem pessoas sinceras a ponto de conseguir terminar numa conversa.

Por que essa é a verdade: Se você não tem amizade com seu ex parceiro, é por que alguém fez merda.

briga

Parem de julgar, sejamos maduros e aceitem: Ser amigo de quem foi seu namorado deveria ser a coisa mais natural a acontecer.

Por .
10ago 15

Aquele que não demonstra

closer

Normalmente eu não faço textos de conselhos amorosos até por que eu não sou nenhuma profissional no jogo do amor, mas dessa vez eu queria falar de algo que sempre mexe muito comigo e com meus amigos: Aquele que não demonstra.

Se você está saindo com alguém e essa pessoa por acaso se encaixa nessas coisas que vou citar, leia atentamente.

Não é uma regra, há excessões.

Você sai com a pessoa, você sente que tem algo acontecendo aí. Parece especial e vocês até trocam frases como “eu gosto de você” ou até o mais intenso “eu estou apaixonado/a”. Vocês se dão muito bem juntos massssss…

1. Você nunca é prioridade para a pessoa nas mensagens quando não estão juntos. Ele mexe no celular e se você mandou mensagem, ele nem olha.
• Na minha opinião, ele não gosta de você tanto quanto você pensa. Ele pode até te curtir, mas só isso. Quando você gosta de alguém, você quer saber da pessoa a cada vez que tem uma brecha de poder ter notícias.

2. Ele quase nunca curte as coisas que você posta e NUNCA comenta.
• Nesse caso, há uma chance de ter mais garotas na jogada. Não pode haver uma demonstração de interesse pública por que “alguém” pode ver e se magoar.

3. Os tempos livres são sempre raros, nunca tem um espaço nem de meia hora para vocês se encontrarem.
• Querida, acorda! Quem gosta dá um jeitinho sempre.

4. Eles sempre tem uma desculpa para justificar algo.
• Nesse caso, você no final até se sente culpada de duvidar e falar alguma coisa. Quando você se sentir culpada de cobrar coisas com muita frequência… talvez o erro não seja seu.

5. Ele geralmente te dá atenção apenas pessoalmente.
• Depois da despedida, parece que vocês nem se conheceram ao vivo e você acaba se pensando se está imaginando uma relação que não existe. Talvez essa relação não exista mesmo.

Na minha opinião, se alguém se encaixa em mais de uma dessas coisas, é bom você ficar ligada ou desistir. Há excessões, então fica esperta se seu par não é uma excessão.

PS: Não se esqueça de que excessões são raras.

Acho que para finalizar esse post, todo mundo tem que ver a melhor cena de Closer:

Por .