25fev 14

Canyons do Sul com o Renault Duster

Duster-em-Cambará-do-Sul-Canyons

Como já postei tem algum tempo, a Renault me convidou para escolher um lugar eu ir com o Renault Duster e “competir” numa votação na fanpage da marca, e dessa votação eu fui a escolhida para ir ao lugar decidido.

Como eu sempre digo, o Brasil tem muitas maravilhas que não conhecemos e sempre há mais para conhecer. As pessoas acabam só focando em Fernando de Noronha que virou caríssimo por suas imensas taxas e outros lugares mais comerciais. Quando me pediram para escolher eu estava procurando informação de um canyon no Paraná que eu havia ouvido falar, e acabei caindo nos Canyons do Sul, que ficam próximo a Rota do Sol no Rs, na cidade de Cambará do Sul.

Acabei saindo na sexta-feira de manhã, dia 14, e meio sem me informar sobre como era o clima lá, admito ter sido um dos meus maiores erros. Como estava muito quente em SP e já tinha ouvido falar que no RS estava tão quente quanto, levei muitas roupas curtas e poucas roupas de frio. Acontece que Cambará do Sul fica no alto da serra, ouvi falar na cidade que no inverno chega a -9 graus.

Ah, fora o tempo para chegar, a viagem de São Paulo para Cambará do Sul com pouquíssimas paradas deu 18 horas de carro. Cansativo, mas o RenaulDuster é um carro bem gostoso para dirigir.

Além disso, passamos por lugares muito bonitos. Na região de Laguna, na lagoa do Imaruí, tivemos que sair da estrada para ver melhor algo lindo. A noite os pescadores deixam algumas luzes na lagoa, acredito que ser onde ficam as redes de pesca. Na foto a cena não representa tão bem a beleza que é vendo ao vivo, mas é o melhor que consegui fazer de foto para compartilhar com vocês.

Luzes-lagoa-do-imarui-duster

Chegando lá em Cambará do Sul pegamos uma temperatura de 12 graus, um frio imenso. Chegamos de madrugada e ficamos em uma pousada muito legal chamada Estalagem da Colina, onde você fica em chalézinhos. A diária para 2 tem um preço bom e é com um café da manhã muito gostoso com algumas comidas coloniais.

Estalagem-da-colina-cambará-do-Sul

No outro dia cedo fomos comprar umas blusas, conhecer o centro da cidade e logo após, ainda de manhã, seguimos nosso caminho em direção ao Canyon Itaimbézinho.

Se não me engano foram mais de 10 km de estrada de chão, o que foi fichinha com o Renault Duster. Os lugares que com outros carros eu tenho certeza que não subiria, subiu sem reclamar, rs.

andressa-roeder-duster-canyons-do-sul-renault

Esse canyon fica no parque Aparados da Serra, cobram uma taxa para entrada de R$6,50 para brasileiro.

Você entra com o carro até um estacionamento e depois faz duas trilhas a pé para as vistas, uma delas de uns 700 metros e outra de 6 km (ida e volta).

As vistas são as melhores possíveis.

Canyon-Itaimbezinho-Renault-Duster-Cambara-do-Sul-caminho Canyon-Itaimbezinho-Renault-Duster-Cambara-do-Sul--Andressa-Roeder Canyon-Itaimbezinho-Renault-Duster-Cambara-do-Sul-1 Canyon-Itaimbezinho-Renault-Duster-Cambara-do-Sul-2 Canyon-Itaimbezinho-Renault-Duster-Cambara-do-Sul-3 Canyon-Itaimbezinho-Renault-Duster-Cambara-do-Sul-4 Canyon-Itaimbezinho-Renault-Duster-Cambara-do-Sul-5

Bem no topo da trilha tem um campo muito bonito e amplo, onde tirei essa foto minha:

Canyon-Itaimbezinho-Renault-Duster-Cambara-do-Sul-campo

Como o tempo não estava tão bom, o canyon Fortaleza ficou fechado para visitação e infelizmente não pude conhecer. Acabei aproveitando o resto do dia para descansar e a noite saímos para jantar em uma pizzaria retrô, com o mesmo nome além do estilo. Não tirei fotos de lá até porque não sabia que seria tão bacana, mas se alguém for para Cambará do Sul, fica a dica de lugar.

No outro dia aproveitamos para conhecer as cachoeiras que estavam abertas para visitação e tentando voltar mais cedo para ver se tinha algum lugar interessante para parar na Rota do Sol.

A primeira cachoeira visitada foi a Cachoeira do Tio França, custa 5 reais a visitação. Tem uma pequena trilha para a chegada das cachoeiras e é muito bonita. Não sei se pode nadar nela, mas com o frio da cidade nem perguntei.

Cachoeira-do-Tio-França-Renault-Duster-Cambara-do-sul Cachoeira-do-Tio-França-Renault-Duster-Cambara-do-sul-2 Cachoeira-do-Tio-França-Renault-Duster-Cambara-do-sul-1

A Cachoeira dos Venâncios ficam saindo da cidade, então deixamos por último. São várias quedas, tivemos que fazer algumas trilhas para ver todas.

A taxa desse lugar também é de 5 reais e pelo que reparei dá para fazer piquenique  no local se alguém quiser passar mais tempo.

Cachoeira-dos-Venâncios-Renault-Duster-Cambara-do-sul-1 Cachoeira-dos-Venâncios-Renault-Duster-Cambara-do-sul-7 Cachoeira-dos-Venâncios-Renault-Duster-Cambara-do-sul-6 Cachoeira-dos-Venâncios-Renault-Duster-Cambara-do-sul-Andressa Cachoeira-dos-Venâncios-Renault-Duster-Cambara-do-sul-Andressa-Roeder Cachoeira-dos-Venâncios-Renault-Duster-Cambara-do-sul-5 Cachoeira-dos-Venâncios-Renault-Duster-Cambara-do-sul-4 Cachoeira-dos-Venâncios-Renault-Duster-Cambara-do-sul-Andressa-Roeder-pedra Cachoeira-dos-Venâncios-Renault-Duster-Cambara-do-sul-3 Cachoeira-dos-Venâncios-Renault-Duster-Cambara-do-sul-2

Todos os lugares tinham estradas de terra, não são estradas muito ruins, só na cachoeira do Tio França que tem áreas bem escorregadias, acho que foi onde tive meu maior problema. Mas com o Renault Duster foi muito fácil, ele é um carro para esse tipo de aventura, acho que um carro normal na cachoeira do Tio França deve sofrer um pouco em dias úmidos.

O Renault Duster veio pretinho em minhas mãos e voltou marronzinho de lama, bem delicinha de trilha mesmo. Adorei!

Renault-Duster-em-Cambará-do-Sul

Para finalizar, uma foto da última parada, o mirante na Rota do Sol!

mirante-rota-do-Sol-1

Comente pelo Facebook

Comentar